PESSOA ESQUISITA

Gente será que o nosso coração aguenta? Numa única noite:

10 (isso mesmo dez!) PMs espancam um motoboy  a ponto de um dos cassetetes se quebrarem. Requinte da crueldade: “Aí, seu fulano o seu cassetete está torto”. “É, quebrou”.

Mulher (uma procuradora aposentada) maltrata um bebê de 2 anos que planejava adotar, isso depois de ter tentado por anos adotar uma criança; não satisfeita agredia empregados e porteiros.

Gerente de banco avisava aos ladrões quais clientes sacavam quantias altas do banco em que trabalhava.

E o padre acusado de pedofilia foi preso após exibição de vídeo em que aparecia fazendo sexo com um menor.

Não vou perguntar onde vai parar o mundo porque não vai parar. A grande questão é como ligar a TV na hora dos telejornais… A resposta mais simples seria: apertando o botão, sim eu sei. Todas essas notícias são 100% nacionais o que dão sensação de que aqualquer momento a polícia vai parar na porta do prédio onde eu moro e levar um vizinho meu qualquer! Isso naquele manjado otimismo de quem se engana imaginando que tragédias só acontecem com os outros.

O fato é que depois dessa noite  não esperarei mais por notícias boas e quem sabe, alguma seja noticiada.  Quem sabe, faço melhor, ligo direto em outro horário! Talvez seja melhor  saber das notícias, pela internet, pelo menos vou poder escolher o meu momento mais propicio a saber das insanidades da minha espécie “humana”.

Eu sei que o comandante desses PMs (?) escreveu uma carta linda e de emocionar à mãe do motoboy morto. Eu vi que a procuradora está presa, o padre pedófilo de oitenta e tantos anos também, assim como o gerente do banco, parabéns ao comandante que se retratou e a polícia que prendeu essas “pessoas”, mas porque será que isso não me deixa nem um pouquinho melhor?

Amanhã é dia do trabalhador, feriado mundial e aqui nessa terrinha “abençoada por Deus e bonita por natureza” acontecerão muitos shows gratuitos para que o trabalhador se divirta e esqueça. Mas porque será que isso não me deixa nem um pouquinho melhor?

É, eu devo ser uma pessoa muito esquisita mesmo…