GORDA


Quando estreiou fiquei frustrada por não ter ido ver. Fnalmente vi e fiquei frustrada com o que a gente é…
Conversei com a Fabiana Karla depois da peça e ela disse uma frase que melhorou muito a minha noite:
– “Ele é que perdeu!”
É, realmente muito melhor ser gordo que ser covarde.
Ser gordo não é um impeditivo para a nossa felicidade, estar rodeado de opiniões indigestas e dar ouvidos a elas sim!
A peça tem soluções excelentes e interessantes nos cenários reversíveis. As situações são bem reais e as personagens também. Felizmente o talento de Fabiana Karla para o humor nos permite ótimas risadas e sorrisos o que nos livra da potencial depressão ao constatar numa noite de sexta que às vezes só amor não basta… Embora saibamos isso, se lembrarmos disso o tempo não haverá esperança, nenhuma condição para ser feliz e o bordão da personagem é jusamente esse: “tô com esperança”.
Sim, Fabiana faz drama com a mesma convicção que faz humor e não é um drama exagerado, é o drama exato na medida que vivemos nossos dias. Nessa personagem linda, gorda, bem resolvida ela aponta soluções-a sua parte na responsabilidade da relação, mas não sofre pelo peso que na verdade não é seu.
É para voltar para casa pensando e amanhecer resolvendo. Vá ao Teatro das Artes (Gávea), está valendo muito a pena!

MORANGIRL

Já que este post veio do blog Exoticum, que é meio diferente, estranho com uma gotinha de veneno e aqui permito-me pensar em voz alta e escrita…
Prometo que não farei dele um confessionário de BBB para  chorar as minhas mágoas! Mas que amei ver as caras de surpresa quando a diferença venceu a mesmice, a rotina, o óbvio, o estruturado e aceito, isso eu gostei muito!
Até mesmo Angélica ficou surpresa! Ela não imaginava que o povo estivesse atento ao seu carisma, acho até que ela não sabia que tinha um carisma tão evidenciado…
 A sua ausência de tipos e caras e boca. Seu pavio curto para com a hipocrisia. Com certeza deu-lhe a muitos votos.
Talvez Angélica esteja acostumada a ser aceita pela frente e ouvir risinhos pelas costas.
Talvez esteja acostumada a ver pessoas se submetendo, aceitando ou buscando ignorar coisas que em estado consciente jamais permitiriam. Sei lá…
Sabemos que quando se é homossexual, o fato de ser aceito pela família, não elimina os obstáculos exteriores. Fotalece para a briga, mas não priva das quedas nem dos choros. Ser assumido é ter  um vento (e que vento)  no foco das pessoas que ao invés de enxergar a personalidade, insistem em comentar sobre a sexualidade. Como se isso fosse uma determinante…
No fundo, ser homossexual é saber-se exatamente igual sem nunca poder provar que se é igual, sem nunca poder degustar sincera e profundamente da igualdade.
As pessoas no fundo, não entendem que dor, tristeza e amor não têm sexo e, esse pequeno e determinante princípio da homofobia está presente ainda que em forma de semente em muitos daqueles simpatizantes e compreensivos.
 Com certeza gays gostariam de ser outra coisa só pra não se sentir a mosca no leite da sociedade. A mancha na lapela dos pais. O batom na cueca da família inteira. Como aquela coisa que não tem nada demais, mas demanda sempre algum nível de explicação… É muito chato, ser normal e sentir-se motivo de preocupações daqueles dos entes amados que amam e que amamos. Melhor deixar pra lá, ir em frente e a saída é a alegria. Será por isso homossexualidade ganhou o carinhoso apelido de “gay”? Adiante!
Ver Angélica dar esporro no Eliézer, não teve preço! Vamos combinar que se o Dourado, eliminasse em sequência 2 da tribo dos Coloridos seria chamado de homofóbico!
se Angélica fosse hétero ninguém teria se surpreendido com a sua vitória no paredão, afinal ela é linda, não cai matando, nem faz as presepadas que uns e outros da Bahia fazem declaradamente acreditando que levanta a audiência. Está sumida no jogo? Claro que não, está fazendo o que se propôs: vivendo um dia de cada vez sob ilhares de olhares.
Essa colagem aí de cima é uma homenagem pra essa menina que sabe que ser gay não contribui nem infui no caráter de uma pessoa.

Solidão Lésbica no BBB 10


A lésbica do BBB10 chorou…  A princípio por sentir saudade de uma pessoa “que deixou fora da casa. Não sei mais sobre o pequeno trecho de notícia” Li que no site, mas eu acho que ela chorou de solidão. Não a solidão derivada da saudade de uma pessoa – Amor Possível, mas a solidão uma qual somente ela está submetida nesta edição do jogo. Angélica está em confinamento duplo! É um jogo desleal para ela.
Todos os participantes Deixaram pessoas no mundo lá fora, partindo para uma aventura de R $ 1.500.000,00 o que Pressupõe que muita coisa, tudo ou quase tudo PODERÁ acontecer.

Alguns Deixaram apenas Quais os parentes para uma conta bancária repentinamente supradesenvolvida dissolveria qualquer explicação para atitudes num contexto exigiria que explicações normais. Outros amores e amores Deixaram de arremedos. Relacionamento e relações de arremessos. Compromissos afetivos e afetos caminhando para o descompromisso enfim, para todos esses e como sua infindáveis Possibilidades afetivas Fora da casa, existem muitas Possibilidades de afeto dentro da casa, menos para Angélica. Que com este nome nome de referência fadada angelical, está a pensar-se na casa Como um anjo, desprovido de sexo, tal a sua falta de opções fáceis quesito nenhum evidência e obviedade.

No primeiro papo do programa, Angélica precisou falar da sua opção sexual, esclarece-la. Pouco depois a câmera mostra seu Diálogo com outra participante, em que ela diz que não quer mais falar sobre a sua sexualidade, ser assumida por que não necessariamente precisa ser escrava “deste assunto (essa é a minha leitura das suas palavras, textualmente aconselho Que se busque na internet). Certíssima ela que uma opção sexual não é determinante na postura de vida de uma pessoa. Ser Porém assumido socialmente direciona o foco das pessoas para esta Sexualidade, atrai para ela uma curiosidade maior ou menor conforme a postura não assumido, de acordo com o nível do Envolvimento das pessoas com o assunto e, vamos combinar que todos se com muito Envolvem o tema! As pessoas simplesmente adoram especular tanto a sexualidade quanto a vida sexual alheia o que não significa que procurem administrar bem como suas Próprias …

Angélica Revelou que há 8 anos fazia sexo com mulheres apenas, sabendo-se que potencializa um confinamento como carências, como REAGIR caso sinta desejo por alguma das meninas heterossexuais da casa, um com estas bem variado cardápio de opções?
E se o seu interesse recaísse sobre um dos rapazes? Esclarecendo-se que em Condições Normais amor, atração, interesse não prescinde de categoria sexual, o maior problema é que sendo educados com conceitos alheios, regras sócio-morais que não acompanharam as evoluções científicias, sociais, emocionais não e Condições Humanas em Vivemos totalmente -normais (não direi Condições Sociais anormais para não ferir o ego de pessoas mais conservadoras que, embora leitoras e amigas quero que se lixem com o seu conservadorismo que impedem a todos, inclusive elas Nas Nas mesmas, de usufruir de uma linda palavra chamada felicidade. ..)
Como administraria o fato de ter alguém acompanhando seus passos e atos lá fora alguém sendo este a sua “pessoa”, sua companheira?
Será que passa na cabeça de Angélica o filme sobre o julgamento que fará inteira sobre o Brasil?
Angélica tem muito mais  questões para equacionar do que qualquer outro BBB nessa décima edição … Resta-lhe a saudade e a ela  atribuir todo o peso da solidão.
Certamente ela não avaliou essas nuances ao se increver. Teria uma produção já contado essas favas ao definir os participantes?
O número único, ímpar, solitário de participantes lésbicas no BBB 10 teria Sido falta de opções das Potenciais participantes que se apresentaram ou uma certa maldade para estudo empírico?
Pense bem, ganhar um R $ 1.500.000,00, um pouco de notoriedade, virar celebridade ainda que por pouco tempo pode ser muito mais complicado do que parece …

Angélica afinal seria uma lésbica assumida orelhinhas com Playboy?

ESTOU ADORANDO ESSE BBB10!!!

Só não sei até quando. É um jogo longo demais para a minha capacidade de concentração televisiva…

Contradizendo a maioria dos amigos que dizem que sou uma intelectual: Antes começava a ver o programa do meio pro final, quando eu ficava sem assunto com a galera. Eu odeio ser unanimidade do mesmo jeito que abomino ser sem opinião…

Dentro de mim vivem umas tribos:

  • dos jornalistas, acho o final a desinformação!
  • Dos tagarelas: Só ouvir me deixa rouca!
  • Dos aparecildos: Se não tiver opinião pra dar eu derreto!

Mas esse BBB não é só de carcaça bonita. Eles são divertidos, estão se divertindo. Todos tem uma bagagem interior mesmo os mais novinhos.

Acho muito melhor os gays já entrarem detonando (a descoberto) do que aquele ti-ti-ti de será que ele é, mesmo td mundo vendo que ele só pode ser. Sim pq provavelmente em todas as ediçõe ao menos um gay tinha ali. E nesta me parece que tem muito mais do que o declarado. Achei lindo as meninas dando pro Serginho o direito de ser hétero! Lindo ele declarando que não é bi! (Não é que Anime tem feito bem pras novas gerações!)

Esse Marcelo Dourado é o que deveria ter existido desde sempre, mas com o cabelo daquela outra temporada…

O tempo faz bem pras pessoas, sim! mas para os cabelos, não faz… Que pena!

Ver antigos participantes em novas jogadas foi o que mais gostei, preferia muito mais a Nat Cassasola – ui! e a Fani – Uhu!

Essa Jose é um bocado bonita e tão alta que fica assim com cara de quem tem a cabeça nas nuvens, deveria ter participado de uma tribo não existente, a dos DESLIGADOS… Dançou por isso e talvez por pensar que era bom se ex-BBB num programa novo, ela tinha que pensar na mesma proporção que tem sorte e que a sorte continue a acompanhá-la.

Ainda não torço por ninguém, tenho só uns preferidos que só vou dizer no próximo chope, preciso ter assuntos, né? Por enqanto que a Elenita tinha tudo pra arrebentar positivamente e ao meu ver foi o paredão errado que deu certo ela tinha que ser da tribo dos chatos ou cabeças de prego… Lamentavel que não esteja representando bem a tribo cabeças da real, nem as gordinhas com um pouquinho com mais de 30. Depois desse programa acho que ela vai precisar fazer terapia por descobrir que tem mania de perseguição…

Enfim que parece que eles descobriram um novo jeito de jogar, mostrando algo mais que só as carinhas. Parece que a TV cansou de coisinhas de casalzinhos, ficou muito evidente essa estratégia, com exceção do Thyrso e Manu, amor com pedra numerada é dose! Mas tem gente apostando na antiga fórmula por não ter enxergado que as tribos servem para neutralizar essa necessidade de acasalamento fake por sobrevivência no jogo…

Será que o Boninho pensa assim: “Vamos ver se o cara beija outro por R$1.500.000,00? Porque ficar com uma garota é mole” E este deve ser o fio deste BBB, pois nos anteriores a pegação era logo de cara e neste, tá devagar, inconscientemente tem nego encostado na parede rsrsr. Fora o Eliézer que se encantou no 1º dia, demais barbas e buços estão de molho…

Por falar em Eliézer, no 1º ele demonstrou interesse pela Tessália e acabou nos lábios da Claudia. Tessália pegou o que achou mais fácil é evidente que ela instrumentaliza o Michel .

Ah, se a vida fosse assim: Ficou chato a gente troca!